População de Saboeiro comemora fim do pagamento da taxa de iluminação pública ~ Ceará da Gente

População de Saboeiro comemora fim do pagamento da taxa de iluminação pública



Após quase vinte anos, a população de Saboeiro, no sertáo dos Inhamuns, deixará de pagar uma taxa de iluminação pública, junto com a tarifa de consumo de energia elétrica.  A taxa era cobrada desde a aprovação do Projeto Lei Nº 02/2002, aprovado em 23 de dezembro de 2002. 

A Câmara Municipal de Saboeiro aprovou por unanimidade, o Projeto de Lei Nº 03/2021, de 17 de fevereiro/2021 - que tramitava no legislativo Saboeirense, que revoga a Lei Municipal anterior, e isenta a população do pagamento da referida taxa. O projeto aprovado é de autoria dos vereadores de oposição: Fabricia Olinda (Presidente - PSD), Arnóbio Unior (PSD),  José Gicislande (o Gilson da Barrinha, PSD), Karen Oliveira(PSD), Antonio da Eva (PSB), Luis Carlos (o Carlinhos-PSB) e Java Carmo (SD).

O Executivo Municipal tem o prazo máximo de 45 dias para cumprir o que foi determinado na nova Lei.

A Sessão Ordinária foi transmitida ao vivo nas redes sociais, e agradou a população.

De acordo com a vereadora Java (SD), esse era um dos pedidos de muitos moradores da cidade. "Nesse momento em especial em que a população está vulnerável, lidando com desemprego e todas as dificuldades geradas por conta dos efeitos econômicos da pandemia, essa redução da conta de energia já significa muito", argumentou a parlamentar.

"A oposição de Saboeiro está do lado do povo. Não mediremos esforços para gerar benefícios para a população. Converso com as pessoas, seguindo todos os cuidados de higiene recomendados eu visito os bairros, os distritos, e essa cobrança nesse momento de pandemia especialmente precisava ser destituída, declarou o vereador Antonio da Eva (PSD)

"Quase vinte anos pagando essa taxa, é um dinheirinho que ajuda no orçamento da casa. Meus vizinhos estão também todos contentes. Estamos agradecidos aos vereadores que elaboraram o projeto, e todos de modo geral, pois todos aprovaram o fim do pagamento dessa taxa absurda", disse uma moradora da Rua Tenente Antonio Paulino.

"Ainda por cima pagávamos essa taxa sem ter iluminação", relata outra moradora do centro da cidade. "Era muito comum que diversos pontos da cidade ficassem completamente às escuras, por meses seguidos. Nos distritos então nem se fala", completou.