Camilo avalia adotar lockdown contra explosão de Covid-19 ~ Ceará da Gente

Camilo avalia adotar lockdown contra explosão de Covid-19

Em coletiva, Camilo descartou relaxamento das medidas já adotadas e disse que irá prorrogar o decreto que suspende atividades não essenciais no Estado. Coletiva aconteceu  nesta sexta-feira (1º). Estava presente o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT).



Após afirmar em suas redes sociais na manhã desta sexta-feira (1º) que tomaria medidas mais duras no combate à pandemia do novo coronavírus caso preciso, o governador Camilo Santana anunciou esta noite a prorrogação do decreto que impede a formação de algomerações e a realização de determinadas atividades no Estado. O governador fez o anúncio em coletiva no Palácio da Abolição ao lado do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT).
"Isso não depende apenas de um decreto. Depende de cada cidadão. Não descartamos nenhum tipo de medida. Vamos passar o fim de semana trabalhando para endurecer o isolamento social", afirmou o governador.
Sem a prorrogação, o decreto teria validade até o dia 5 deste mês, conforme o anúncio do governador feito no último dia 18 de abril. A medida que estabelece o isolamento social e o fechamento de alguns negócios no Ceará já havia sido prorrogado no dia 4 de abril.
O decreto determinando o isolamento social e o fechamento de bares, restaurantes, lanchonetes, igrejas, museus, cinemas, academias, clubes, centros de ginástica, lojas, shoppings e centro comercial foi publicado pela primeira vez em 19 de março deste ano, quando o número de casos da Covid-19 no Estado chegava a 24 e ainda não havia registro de mortes. 
Governador diz que não descarta lockdown no Ceará.

"NÃO É O MOMENTO DE FALAR EM FLEXIBILIZAÇÃO", DIZ GOVERNADOR

QUESTIONADO SOBRE A POSSIBILIDADE DE FLEXIBILIZAÇÃO DO ISOLAMENTO SOCIAL, CAMILO RESPONDEU QUE, DIANTE DO MOMENTO E DOS NÚMEROS DA DOENÇA NO CEARÁ, "NÃO É O MOMENTO PARA FALAR EM FLEXIBILIZAÇÃO". "O QUE EU POSSO AFIRMAR É QUE ESTE NÃO É O MOMENTO PARA FLEXIBILIZAR. É DE AMPLIAR AINDA MAIS AS MEDIDAS RESTRITIVAS DIANTE DOS NÚMEROS QUE NOS FORAM APRESENTADOS".


Camilo Santana pontuou ainda que a velocidade de contágio do coronavírus no momento é maior que a capacidade de atendimento. Nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA), a operação ocorre com mais de 100% da capacidade de atendimento. De acordo com ele, até o fim da próxima semana serão implantados mais 100 leitos de UTI na Capital. Para isso estão sendo trazidos judicialmente 28 respiradores.
Fonte: DN