Relação diplomática entre Brasil x China está abalada: China endurece e exige retratação do Brasil sobre ataque de Eduardo Bolsonaro

Diante do avanço da crise provocada pela epidemia de coronavírus, um dos filhos de Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), atacou o governo da China, maior parceiro comercial brasileiro e estratégico no combate à pandemia, sem o menor sentido, acusando o governo da China de ser o responsável pelo coronavírus ao esconder informações. Sem a ajuda da China, o Brasil terá mais dificuldade no combate à pandemia. A China já está ajudando a Itália com equipamentos e médicos.
Yang Wanming (foto embaixada da china)
“Mais uma vez uma ditadura preferiu esconder algo grave a expor, tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas. A culpa é da China e liberdade seria a solução”, escreveu Eduardo que estava tomando as dores dos Estados Unidos e saindo em defesa do presidente Trump. Isso porque recentemente apareceram rumores de que militares norte-americanos podem ter ficado doentes por coronavírus antes do surto na cidade de Wuhan, na China.
A resposta da embaixada chinesa foi imediata e dura. Em sua conta pessoal, o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, afirmou que Eduardo é uma “pessoa sem visão internacional nem senso comum, sem conhecer a China e o mundo”. “Aconselhamos que não corra para ser o porta-voz dos EUA no Brasil ou vai tropeçar feio”, escreveu o embaixador.
O embaixador da China também lincou sua fala ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Em um segundo texto, exigiu que Eduardo “retire imediatamente” suas palavras e peça desculpas ao povo chinês, além de avisar que irá protestar junto ao Itamaraty. “Além disso, vão ferir a relação amistosa China-Brasil. Precisa assumir todas as suas consequências”, completou o embaixador chinês.
No Twitter oficial, a embaixada chinesa afirmou que as palavras do deputado são irresponsáveis e uma imitação de “seus queridos amigos”. “Ao voltar de Miami contraiu, infelizmente, vírus mental, que está infectando a amizade entre nossos povos.”
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tentou consertar o estrago feito pelo filho do presidente. Ele pediu desculpas à China. Também nas redes sociais, Maia disse ao embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, que as falas de Eduardo eram feitas de “palavras irrefletidas”, em uma clara tentativa de barrar uma crise diplomática. 
“Em nome da Câmara dos Deputados, peço desculpas à China e ao embaixador @WanmingYang pelas palavras irrefletidas do Deputado Eduardo Bolsonaro”, postou Maia no Twitter. Ainda segundo ele, “a atitude não condiz com a importância da parceria estratégica Brasil-China e com os ritos da diplomacia. Em nome de meus colegas, reitero os laços de fraternidade entre nossos dois países. Torço para que, em breve, possamos sair da atual crise ainda mais fortes”. 
Fonte: Carta Campinas, com informações do Brasil 247