Campanha estimula conversas com idosos pelo WhatsApp durante período de coronavírus

Iniciativa do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa busca combater a solidão utilizando a rede social


O voluntário deve adotar um idoso para conversar, se tornando um "anjo da guarda" para uma pessoa específica.Foto: Natinho Rodrigues
Com o objetivo de combater a solidão que idosos podem sentir durante pandemia de coronavírus, o Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa (CMDPI) tem estimulado a realização de conversas com pessoas acima de 60 anos. Em Fortaleza, a campanha também procurou atingir um grande número de voluntários e o site "Saúde e Envelhecimento" é usado como canal de informações.
A premissa é simples. O voluntário deve adotar um idoso para conversar, se tornando um "anjo da guarda" para uma pessoa específica. Conforme o site da campanha, essa ação se torna “um verdadeiro ponto de apoio para idosos que moram sozinhos. A ideia pode ser aplicada em qualquer lugar do mundo”. É sugerido começar com o círculo de pessoas mais próximos, podendo ser alguma pessoa acima de 60 anos que conhece.
Uma vez descoberto o contato de WhatsApp de um idoso solitário, a iniciativa estimula mandar mensagens questionando sobre o dia, assim como perguntar se houve apresentação de sintomas. “Vocês podem discutir as notícias sobre o Coronavírus e fazer uma dupla checagem antes de compartilhá-las com seus amigos”, acrescenta. 
O CMDPI explica que o voluntário não pode realizar o diagnóstico ou dar recomendações médicas, porém pode orientar o idoso acerca de maneiras de buscar orientação profissional. O Ministério de Saúde constantemente atualiza informações em seu site oficial e também disponibiliza o aplicativo “Coronavírus SUS”, com roteiro de perguntas e mapa das Unidades de Saúde próximo à localização do usuário. 
Acesse mais informações no site: http://saudeeenvelhecimento.com.br/anjo/

Fonte: DN