26 Governadores unidos contra o Covid-19 elaboram Carta com reivindicações ao Presidente da República



Governador reforça pedido de união nacional em reunião com governadores do Brasil
Camilo  reforça pedido de união nacional em reunião com governadores do Brasil
. Foto: Portal do Governo do Estado

Governadores dos 26 estados brasileiros divulgaram uma carta com uma série de reivindicações ao Governo Federal com o objetivo de amenizar os impactos socioeconômicos causados pelo novo coronavírus (COVID-19) no Brasil. A Carta foi o resultado do que foi discutido em reunião através de vídeo-conferência, na tarde desta quarta-feira (25).

O manifesto foi elaborado nesta quarta-feira, 25, durante videoconferência que contou com a participação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. O único governador ausente na discussão foi o Distrito Federal, Ibaneis Rocha.
No documento, os governadores deixam claro que a prioridade dos estados será continuar com as medidas adotas para conter o ritmo da expansão do coronavírus em seus territórios com base no que aconselha a ciência e a Organização Mundial de Saúde (OMS).
Nesse sentido, os gestores estaduais reforçam a necessidade de entrar em acordo com a Presidência da República na luta contra a crise do coronavírus e seus impactos humanitários e econômicos.
Entre as principais reivindicações dos governadores está a suspensão de pelo menos 12 meses do pagamento das dívidas dos estados com a União e bancos públicos, como Caixa, Banco do Brasil e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Outra pauta que já havia sido defendida anteriormente pelo governador Waldez Góes foi o apoio do governo federal na aquisição de equipamentos e insumos necessários para a preparação de leitos, assistência da população e proteção dos profissionais de saúde.
Para ajudar a amenizar os impactos socioeconômicos, os governadores também pediram a aprovação imediata aplicação da Lei nº 10.835, de 8 de janeiro de 2004, que institui uma renda básica de cidadania para todos brasileiros que apresentarem necessidade durante este período.
Durante mais de duas horas, ficou acertado que todos agirão com o intuito de unificarem medidas de enfrentamento a pandemia que assola todo o País, olhando não apenas para a saúde, mas também para a economia do Brasil.

Na transmissão via redes sociais, Camilo também falou da disponibilidade do TeleSaúde no Ceará, e reiterou sobre a publicação de uma carta selando um pacto de ações coletivas e padronizadas dos nove estados do Nordeste, fruto de outra reunião, apenas entre governadores da região, realizada mais cedo.
União do Brasil
“Esse é um momento de unidade, de muita serenidade, e de união. É necessário deixar de lado nossas questões políticas, partidárias e ideológicas, esse é um momento de proteger as pessoas, não apenas do vírus, mas também proteger o emprego das pessoas. Esse é agora o grande desafio, e por isso essa condição nos exige diálogo, assim como um alinhamento de ações, num esforço em conjunto de todos os Estados, mas também com a participação do Governo Federal. Na reunião se constatou um consenso entre todos os governadores, a necessidade de união”, apontou Camilo Santana.