Estado abre seleção pública para consórcios com salários de até R$ 15 mil ~ Ceará da Gente

Estado abre seleção pública para consórcios com salários de até R$ 15 mil


Em meio aos embates com prefeitos por divergências sobre os consórcios de saúde, o Estado publicou no Diário Oficial, o edital com os critérios de seleção pública para os cargos de gestão dos próprios consórcios e também das policlínicas e de Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), alvos maiores da divergência.
Atualmente, esses cargos, que possuem salários que vão de R$ 12 mil a R$ 15 mil, são indicados pelos gestores municipais.
Os cargos são secretário executivo, diretor administrativo financeiro, diretor geral de policlínica e diretor geral de CEO. As inscrições estão abertas no site da Escola de Saúde Pública do Ceará e podem ser feitas até as 12h do dia 9 deste mês, mediante pagamento de taxa no valor de R$ 350. Ao todo, são 258 vagas, sendo 86 efetivas e 172 para cadastro de reserva. Todas as regiões do Estado são contempladas pelo edital.
Para concorrer às vagas, é necessário ter três anos de experiência comprovada em gestão pública ou privada, nível superior completo e registro profissional no conselho de classe competente. As provas estão marcadas para 19 de janeiro.
O edital, no entanto, recebe críticas. De acordo com interessados, o curto período e o valor elevado da inscrição podem afastar concorrentes e favorecer aliados políticos de prefeitos que, hoje, já ocupam esses cargos.
O MDB e Camilo Santana
O MDB no Ceará tenta se reerguer após a derrota impactante do ex-senador Eunício Oliveira nas urnas nas eleições do ano passado. O partido diz que está se reestruturando na Capital, mas o início do ano pré-eleitoral, a julgar por declarações do seu líder maior, não tem mostrado um horizonte animador.
É preciso uma dose quase cavalar de autoengano para cogitar que o governador Camilo Santana fará campanha para algum candidato na disputa pela Prefeitura de Fortaleza que não seja o do PDT e do prefeito Roberto Cláudio. É o que Eunício tem tentado vender.
O MDB e Bolsonaro
O ex-presidente Michel Temer, com a marca personalística que marca a sua trajetória, disse, ontem, que o governo Bolsonaro "está indo bem" porque o atual gestor dá sequência ao que fez o governo-tampão do emedebista. Temer, é bom lembrar, foi vice-presidente de Dilma nos dois mandatos e o MDB foi fiador também do governo Lula.
Se Temer considera que ficou terra arrasada após o impeachment, é culpa dele também, que ajudou a "esburacar a estrada", para pegar a metáfora que ele mesmo usou.
O traço personalístico ficou ainda mais evidente - e cômico - quando o ex-presidente diz que votou em Bolsonaro no segundo turno só porque "a outra candidatura me fez críticas indevidas".
R$ 247 mi é o valor que o Estado recebeu do Pré-Sal
No último dia do ano passado foi feito o empenho pelo Governo Federal dos valores oriundos da cessão onerosa após o leilão da exploração do Pré-Sal. O valor frustrou as expectativas. Na primeira previsão, o Governo do Estado poderia receber até R$ 700 bilhões do chamado bônus de assinatura. Como o leilão ficou bem abaixo do esperado, os valores acompanharam a tendência.

R$ 264 milhões é a quantia repassada aos municípios cearenses

Os 184 municípios cearenses já receberam um total de R$ 264,8 milhões, referentes aos repasses da cessão onerosa do leilão do pré-sal. Os recursos variam de acordo com os repasses do Fundo de Participação dos Municípios e devem ser usados, pelas regras aprovadas no Legislativo, para quitar déficit com sistemas de previdências e também para fazer investimentos que beneficiem a população.

Inácio Aguiar- DN