Camilo anuncia término das cidades que tenham "fim de linha". Será que o asfalto ligando Saboeiro a Aiuaba ou Acopiara finalmente sai?

Camilo Santana em discurso no distrito de Santa Fé, em Crato
Fim de semana com agenda cheia para Camilo Santana (PT) no Cariri. O governo investe R$ 153 milhões em 57 trechos no programa Ceará de Ponta a Ponta, que restaura e constrói estradas em todo o estado. Na região Sul, inaugurações no distrito de Santa Fé, em Crato, e assinatura de ordem de serviço em Brejo Santo. 

O discurso de Camilo deixa claro que o governo que pôr um fim em cidades “fim de linha”, a exemplo de Abaiara. “Você chega em Abaiara e pronto, tem que voltar porque não tem como passar […], por isso vamos fazer uma estrada até Brejo Santo”, prometeu o governador. 

Ainda em Brejo Santo, na noite de sexta (10), ele assinou ordem de serviço da restauração da CE-397, no trecho de 22 km que liga a sede do município ao distrito de Poço do Pau. Além disso, a ordem de serviço do trecho de 12 km entre Poço do Pau e Palestina, em Mauriti. 

Em Santa Fé, já no sábado (11), inaugurou o trecho de 58 km da CE-292 entre Crato e Nova Olinda. O governador almoçou no distrito de Monte Alverne. 

(Fonte: Site Miséria)

Soltando o verbo:

Ponte do Mamoeiro, na única via de acesso a Saboeiro
Saboeiro, minha amada terra natal é um dos mais fortes exemplos desse "fim de linha". Lá só entra quem tem negócio, mora lá ou vai visitar um parente, e só sai "de ré". Saboeiro é uma das cidades mais antigas do Ceará, mas parece que parou no tempo. O progresso passa distante,e uma das maiores causas desse "esquecimento" é justamente por ser uma cidade "fim de linha". Não precisamos nem entrar no mérito do município ter sido governado em quase dois séculos  na condição de município e capitaneado por mais um anterior na condição de vila, a maior parte do tempo por picaretas oportunistas que mais sugaram do que proporcionaram benefícios ao município, e prova disso é que, não suficiente a sensação de que Saboeiro parou no tempo, na verdade houve um retrocesso, pois coisas que tínhamos hoje não temos mais. Costumo dizer que Saboeiro "andou pra trás". 

Então, senhor Governador, por gentileza, mova seus olhos para meu querido e esquecido SABOEIRO. Somos um povo humilde, e precisamos sentir o gosto do progresso, antes que a cidade volte à categoria de vila e seja riscado da lista dos municípios do meu querido Ceará, ou mesmo vire ruínas como Cococi. Nos indignamos com a condição de "fim de linha" há muito tempo, mas não nos ensinaram a lutar, porque nos acomodamos na ignorância, na mordaça e no medo, visto que os "caciques" que governaram o município nos impuseram a condição de omissos e aceitamos sem reclamar. 

(Aécia Leal)