O assassinato do Prefeito de Granjeiro repercute nas redes sociais ~ Ceará da Gente

O assassinato do Prefeito de Granjeiro repercute nas redes sociais

O prefeito do município de Granjeiro, João Gregório Neto, foi assassinado a tiros enquanto caminhava próximo à parede do Açude Junco, no município do Cariri, no início da manhã desta terça-feira (24). A assessoria do político confirmou a morte nas redes sociais. 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), equipes da Delegacia Regional de Juazeiro do Norte, da Regional de Iguatu e do Departamento de Polícia Judiciária do Interior Sul da Polícia Civil, trabalham em conjunto para identificar e localizar os possíveis suspeitos. 

Policiais de Cariús, Cedro, Iguatu, Juazeiro do Norte e Várzea Alegre também foram mobilizado para prestar assistência durante as investigações. De acordo com testemunhas, um carro aproximou-se do gestor e o suspeito efetuou os disparos. 

Ainda segundo as testemunhas, foram ouvidos pelo menos três tiros. Gregório ingressou na política como vereador em 1989 e foi reeleito em 1993, ambas as candidaturas pelo Partido da Frente Liberal (PFL). 

Em 2016, retornou como candidato a prefeitura de Granjeiro e foi eleito com 2.358 votos (52.39%). Conhecido popularmente como “João do Povo”, em novembro de 2018 foi alvo da Operação Bricolagem da Polícia Federal, que investigava fraudes em licitações. As investigações mostraram que o prefeito chegou a movimentar cerca de R$ 26 milhões em um período de dois anos na conta de um parente,beneficiário da aposentadoria rural.

Na casa do gestor, a PF encontrou R$ 213 mil em caixas de sapato. Nas redes sociais, a assessoria publicou uma nota de falecimento. “A administração Governo de Todos acredita na Justiça e espera que os responsáveis por este crime sejam punidos de acordo com a lei. Que Deus conforte a família, amigos e a população de Granjeiro neste momento de dor.” 

Diário do Nordeste.

O assunto foi um dos principais destaques nas mídias e redes sociais desta terça-feira natalina.