Após liberdade, primeiro discurso de Lula foi para o grupo da vigília Lula Livre ~ Ceará da Gente

Após liberdade, primeiro discurso de Lula foi para o grupo da vigília Lula Livre


O ex-presidente Lula foi solto nesta sexta-feira (8) após decisão judicial.
Detido desde abril de 2018, tendo ficado 580 dias preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba, Lula foi recepcionado pelos militantes da vigília "Lula Livre", grupo que se revesou nas proximidades de sua carceragem durante todo o  tempo que o para este grupo que Lula fez seu primeiro discurso, para dirigir-lhes palavras de gratidão por toda dedicação. Mostrando-se presente todos os dias, todas as horas, de sua cela  Lula os ouvia gritar "Bom dia, Lula", "Boa Tarde, Lula", "Boa Noite, Lula", "Você não está sozinho", "Lula, estamos com você!" Eles foram, sem dúvidas, a maior razão do ex-presidente ter se mantido firme, fortalecido e querido nesses dias difíceis, suportando com mais suavidade, aquecido pelo carinho que recebia, o peso da injustiça e da falta de liberdade.
“Vocês não tem dimensão do significado de eu estar aqui junto com vocês”, disse Lula.
O petista também criticou “o lado podre da Justiça” que, segundo o ex-presidente, tentou “criminalizar a esquerda, o PT e o Lula”.
Lula falou ao lado da presidente do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), e do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, a quem chamou de “quase presidente, se não fosse roubado”, e da namorada, que foi apresentada ali como sua futura esposa. 
“Eles não prenderam um homem, eles tentaram matar uma ideia, uma ideia não se mata e uma ideia não desaparece. Eu quero lutar para mostrar que se existe uma quadrilha e um bando de mafioso era para tentar, liderados pela Rede Gobo, criar a imagem que o PT precisava ser criminalizado”, disse.
O ex-presidente também afirmou que, desde sua prisão, “a vida do povo piorou” e que pretende “percorrer o país”. Lula agora seguiu para São Paulo e hoje fará novo discurso na sede do sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo.
Apesar das críticas e do desabafo contra os responsáveis por sua prisão e julgamento  injustos, Lula relatou que não carregaria mágoas.
 “Saio daqui aos 74 anos, no meu coração só tem espaço para o amor, porque o amor vai vencer o ódio”, afirmou o ex-presidente.