Nova onda de demissão em massa aumenta o desmantelo em Saboeiro



A catastrófica situação do município de Saboeiro hoje se acentuou com a divulgação do mais novo Decreto Municipal, de nº 17, datado de 23 de outubro de 2019, onde ficou estabelecida a exoneração de todos os servidores contratados, dos titulares de cargos comissionados e de funções de confiança, além da suspensão de todas as gratificações aos servidores. 

O mesmo decreto isenta da exoneração apenas secretários, sub-secretários e servidoras que estejam gestantes ou gozando de licença maternidade na data do referido Decreto.

O clima é de desespero. Como se não bastasse os problemas assistenciais básicos, os atrasos salariais, a nova onda de demissão em massa sacramenta a morte total do comércio local, que já agoniza há muito tempo.

Soltando o Verbo:

O governo que ironicamente carrega o slogan "De mãos dadas com o povo" tá mais perdido que cego em tiroteio, numa sequência de atos (e desatos) que funcionam como tiro no pé...

Nem sempre bons políticos são bons gestores. E em Saboeiro nos deparamos exatamente com essa situação. Os crimes de responsabilidade fiscal e a irresponsabilidade, associada à inquestionável falta de capacidade de administrar do atual prefeito, tem-lo feito "deslizar na maionese" a cada dia,  mostrando toda sua falta de zê-lo pelo município e pelas pessoas. Seus mandos (e desmandos) inconsequentes colocou o município nessa situação vergonhosa, humilhante, decadente, expondo a todos à condição de derrotados, pois no município nada caminha pra frente.

Seria muito digno da parte do excelentíssimo "cacique" que ostenta a condição de empregado do povo como se ser prefeito fosse ser dono da cidade, das vontades e da liberdade das pessoas, renunciasse imediatamente e se recolhesse à sua insignificância administrativa!