Morte de Ágatha eleva resistência a projeto que ameniza punições a policiais ~ Ceará da Gente

Morte de Ágatha eleva resistência a projeto que ameniza punições a policiais

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao comentar a tragédia, disse que é preciso uma 'avaliação cuidadosa' da medida
O enterro da menina Ágatha, no Cemitério de Inhaúma Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

Após morte da menina Ágatha, cresce resistência a excludente de ilicitude, projeto anticrime de Moro.

A morte da menina Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, atingida por um tiro nas costas, na sexta-feira, no Complexo do Alemão , Zona Norte do Rio, causou uma onda de comoção pelo país. E deve dificultar a aprovação da excludente de ilicitude, proposta do ministro Sérgio Moro que alivia a punição a policiais acusados de matar em ação. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, ao comentar a tragédia, disse que é preciso uma "avaliação cuidadosa" da medida . O ministro reagiu e afirmou que a morte não tem relação com sua proposta. 

Guerra de versões: Ágatha é a quinta criança morta por bala perdida este ano no estado . A menina estava numa kombi com a mãe quando foi baleada. A Polícia Militar disse que havia um tiroteio entre policiais e criminosos que fugiam do local em uma moto. Parentes e moradores da comunidade afirmam que se ouviu um único disparo e acusam a polícia.

Witzel mantém o silêncio: O governador não se manifestou sobre a tragédia . Especialistas criticaram a política de confronto adotada pela PM em suas ações.

E agora: O corpo de Ágatha foi sepultado na tarde deste domingo, sob aplausos de parentes e amigos. "Sabe qual era a arma que tinha dentro da mochila da minha neta? Lápis, caderno, apontador, livro", desabafou Airton Félix, avô da menina . Hoje, os policiais militares que estavam na ação que terminou com a morte de Ágatha serão ouvidos na Delegacia de Homicídios da Capital. Além dos depoimentos, os agentes entregarão as armas que usavam. A bala retirada do corpo da menina será usada para fazer comparação com o armamento policial .

Fonte: O Globo