A serviço do crime: Advogado cearense servia de pombo-correio para facção

A Polícia Civil investiga a relação entre o advogado Alaor Patrício Júnior (25) e uma organização criminosa. O homem foi preso em flagrante nesta terça-feira (24), ao tentar entrar em unidade prisional com bilhetes para integrantes de uma facção. Os comunicados estavam dentro da cueca do suspeito, que obteve a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil há dois anos. Agora, os investigadores querem saber se Alaor se formou em Direito para atuar em prol do crime organizado. 
Alaor, por sua vez, justifica que alguns colegas de infância se tornaram criminosos na maioridade e quando descobriram que o suspeito tinha se tornado advogado, fizeram ameaças de morte, determinando que o homem realizasse a entrega de bilhetes dentro dos presídios e vice-versa. Em um dos comunicados, consta um plano de fuga. Vídeo divulgado nas redes sociais mostra o suspeito dentro da unidade com um suposto estagiário, afirmando que vai soltar um preso. 

Alaor Patrício Júnior foi abordado pelo diretor da unidade prisional que percebeu o comportamento estranho do advogado. Ele foi flagrado quando passava papel e caneta para quatro presos, estes faziam anotações e lhes devolviam os bilhetes pelo parlatório. O administrador entrou em contato com a Delegacia Metropolitana de Itaitinga e comunicou todo o ocorrido. Uma equipe de policiais civis seguiu até o local, e durante revista ao infrator encontraram o conteúdo ilícito e canetas. Foi dada voz de prisão ao suspeito.
Procurada, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-CE) informou que a diretoria de prerrogativas e do Centro de Apoio ao Advogado está acompanhando o caso “para garantir a legalidade da prisão e também que o acusado tenha assegurado o direito à ampla defesa e ao contraditório”. Um processo disciplinar deverá ser aberto. 
Fonte: Acopiara News