Fim de farsa: mãe e padastro confessam assassinato de criança de 1 ano e 10 meses em Pacatuba ~ Ceará da Gente

Fim de farsa: mãe e padastro confessam assassinato de criança de 1 ano e 10 meses em Pacatuba


Polícia Civil localizou o corpo e prendeu o casal em flagrante após depoimento revelador de parente



Ana Cristina Farias Campelo e Franciel Lopes de Macedo, respectivamente mãe e padrasto da menina Maria Ester Farias Campelo, foram presos na manhã desta quarta-feira (21), por suspeita de terem matado a criança. A menina, de 1 ano e dez meses, foi dada como desaparecida na noite de terça-feira (20), quando o casal denunciou que ela havia sido levada dos braços da mãe por um casal armado. A mãe chegou a registrar um Boletim do Ocorrência denunciando o suposto rapto da criança.

A Farsa:

Na noite de terça, Ana Cristina relatou à polícia que estava com o padrasto e a criança numa bicicleta, quando foram abordados por um casal armado que exigiu que dessem a menina. Ela chegou a pedir que a imagem da filha fosse divulgada para auxiliar nas buscas. O suposto roubo teria acontecido no Bairro Pajuçara, em Maracanaú, também na região metropolitana na capital.


O corpo foi encontrado enrolado em um lençol, em um matagal próximo da Estrada dos Macacos, em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza. Após a prisão, Franciel detalhou aos policiais que a criança foi morta com socos no estômago, nas costas e por enforcamento. Porém, uma irmã de Franciel, concedeu entrevista ao Sistema Verdes Mares e disse que a menina foi morta a pauladas. O depoimento da mulher polícia foi crucial para que a polícia desvendasse a farsa e elucidasse o crime, pois ela informou à polícia que o casal saíra de casa com a menina enrolada num lençol, e disse ainda que a menina chorava muito, exigindo sempre a atenção da mãe.

‘Chorava demais’

As suspeitas de que a mãe e o padrasto seriam os responsáveis pelo sumiço da criança surgiram após uma tia da menina informar à polícia que viu o casal saindo de casa com Maria Ester envolta em um lençol. Ela contou, ainda, que a menina chorava demais e exigia muita atenção da mãe.
Ela disse, ainda, que o casal teria armado a história do rapto para despistar qualquer suspeita em relação ao desaparecimento da criança. O padrasto e a mãe de Maria Ester estão juntos há cerca de quatro meses.
Com informações do DN e do Portal Acopiara News